quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Opinião, exclamação.

Recebi um e-mail com o desabafo de uma estudante a respeito da nico lopes 2009. Achei justo fazer o repasse e abrir espaço para discussão. Segue abaixo:

Qual é a cara do estudante?


Essência... Seu significado transmite a idéia de interior, profundeza, uma manifestação que venha de dentro, do coração. Pena que muitas vezes as essências se perdem e as aparências, que sozinhas, são superficiais e até mesmo supérfluas surgem com uma força estrondosa, e acabam inibindo tudo o que as verdadeiras essências poderiam trazer de interessante para a formação individual, de uma sociedade, da capacidade de reflexão de cada um, daquilo que está ao redor e de todo o geral.

Às vezes fico pensando se as pessoas realmente refletem sobre aquilo que as cercam, sobre os atos feitos e sobre as pessoas ao redor. Muitas vezes quero acreditar que sim, que a maioria das pessoas tem o mínimo de senso político, social, ambiental, cultural e artístico... Porém esses meus pensamentos desaparecem e se decepcionam em poucas horas. É o contato com a realidade que me faz ver que a esperança é um sentimento bonito, porém fraco.

Ontem, resolvi seguir na marcha Nico Lopes, uma marcha tradicional dos estudantes da Universidade Federal de Viçosa. Esse ano, a marcha completou 80 anos e apesar de no começo ela ser uma festa de bebedeira, na qual os estudantes se reuniam em um bar para comemorar o aniversário do Dono do bar o Senhor “Nico Lopes”, as mudanças políticas no país transformaram a marcha em manifestos, protestos, se encaixando num âmbito bem mais político.

Eu concordo com o fato de que não estamos mais em uma repressão política, igual foi o Regime militar, mas ainda temos muito que manifestar para construir uma Universidade e até mesmo um país melhor. Parece utópico, mas é em pequenos atos que se consegue atenção e respeito. Todavia, devemos ter muito cuidado da forma como chamamos essa atenção...

Que respeito conseguiremos transformando um dos únicos espaços que os estudantes tem de se colocar e se manifestar, em uma algazarra, bebedeira a até mesmo vandalismo? Infelizmente foi a única coisa que eu consegui enxergar na Nico Lopes 2009.

Pessoas caindo de tanto beber, destruição das plantas que existiam nos carteiros da avenida principal da UFV, pichação de muros, pessoas urinando pela universidade, lixo por toda parte, brigas, manifestações de preconceito, enfim... Acredito que nunca foi essa a essência da marcha Nico Lopes. Sinto, porque a as únicas coisas com que a maioria dos estudantes estavam preocupados era com o trio elétrico que passava pelas avenidas de viçosa, com o preço da cerveja, e com a próxima música de axé que o a banda ia tocar.

É triste notar que a maioria não estava presente pelo fato da essência que a marcha deveria trazer, mas sim pela aparência, e somente pela aparência: música alta, muita gente, bebida e uma diversão descontrolada.

Uma minoria de estudantes se reuniu para tentar achar a manifestação do coração, mas, ela não estava lá, ela não existia. Afinal, esse ano a marcha foi construída em cima das superficialidades da aparência!

Entristece-me, pois a imagem de um estudante despolitizado e de um diretório central dos estudantes que só se preocupa com as aparências dos atos que tomam. Passam a representação do vandalismo, do preconceito, da violência e até mesmo da falta de cuidado com si mesmo. Infelizmente, na marcha Nico Lopes 2009 foi essa a cara do estudante!

Gabriela Gasparotto

Dança 2008


O texto chegou até mim e representou todas as premissas que eu tinha a respeito da Ni(mi)co Lopes 2009. De fato tivemos a maior mi(pi)careta da região, regada de tudo aquilo que não traz à universidade, ao município e muito menos ao estudante melhoria alguma.

Uma coisa que muito me incomodo é a grande quantidade de recurso público desperdiçado. Isso por que não deve haver necessidade de deixar o porão mais bonito, o banheiro mais higiênico, os CA's com uma estrutura melhor que lhes permita trabalhar entre tantas outras necessidades dos estudantes.

Quanto ao slogan " a cara do estudante" vejo como sendo a única coisa coerente de tudo isso, pois a muito já não creio que aqui se encontra o futuro da nação, claro sem generalizar, mas essa bagunça toda foi realmente a cara de muitos estudantes por aqui.


Uli Canelone

1 comentários:

Ana Paula disse...

É isso aí Uli e tod@s leitores amados!!!

Felizes aqueles que não conseguiram participar da Barbárie... pq até encher a cara de cerveja e ficar totalmente inconsequentes, os estudantes micareteiros, conseguiram fazer uma festa legal no estacionamento do PVB... porém foi tanta a demora que as feras foram libertadas... e depois disso... só zona e destruição!! Que pichação que nada!! Isso foi só para desviar os olhares... o pior estava em cima da reta da UFV!! E tb dos tetos dos pontos de ônibus e das plantinhas coitadas... nem elas escaparam!!

Felizes os que fugiram à tempo....

Guardem em sua memória a do ano passado!! Aquilo foi Marcha e não Mi(PI)caretagem!! E pudemos desfrutas de uma brincadeira e protesto saudáveis e não de um Ni(MI)co!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Capadócia do Mês

Capadócia do Mês
Wessslian Roriz

Divulgue o CanelaNews

Share |

Sigam nos (os bons) no twitter

Capadócia Chapolim

Twitter

Capivara Pictures

Loading...

Capadócios